quinta-feira, 31 de maio de 2012

Camuflei tão bem meus sentimentos, que até para mim ficou difícil reconhecê-los. Entretanto foi preciso, com certeza faria um ridículo papel, sentindo sozinha.
Você tem razão, jamais te amei, aliás acho que nunca amei ninguém... Diante da face da morte, sinto essa necessidade de dizer verdades, não vai doer, não mais. Está livre agora!

segunda-feira, 28 de maio de 2012

 
 Decidi não abrir mais as portas. Meu coração está em manutenção e talvez jamais fique bom  novamente... melhor assim, o amor nunca gostou muito de minha companhia. Certas coisas não adianta forçar!

domingo, 27 de maio de 2012

Estaria eu pronta para todos os absurdos desse mundo?
Minha sensibilidade me impede de ver as coisas como realmente são... Podres

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Não posso mudar o passado, o futuro? Quem sabe? Então vivo o presente intensamente...

terça-feira, 22 de maio de 2012

OS DEGRAUS






Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos - onde
Os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco este nosso mundo...
 
 

 Na casa nova haverá primaveras...muitas, de todas as cores. E roseiras...muitas roseiras!



domingo, 20 de maio de 2012

Os Amantes

 Encheram profunda taça e envolveram-se em fervor.
Ficou-lhes na boca — presa ao crescente desejo
de mais beberem, de mais conhecerem — o sabor
da outra Vida maior, onde os levara o ensejo
de ultrapassarem a carne. Em solidão limitados,
num barco sem dia a dia, compromissos ou tratados,
singram velozes sem tempo, definidos pela estrela
que lhes indica, serena e nitidamente, o norte.

Encheram de novo a taça; incha mais a panda vela.
E para serem iguais, apenas lhes falta a Morte!

António Salvado, in "Difícil Passagem"

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Ele tem o sorriso mais lindo...
Adoraria despertar e vê-lo sorrir sempre assim... é a vida

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Quer ser feliz?

A receita é simples e não tem contra indicações: 
Pense o seguinte, todos nós vamos morrer um dia não é mesmo? Então porquê ficar se apegando a coisas que não levaremos conosco na hora da partida...