quarta-feira, 30 de setembro de 2015


Um dos meus sonhos é rodar o todo esse Brasil em duas rodas, com uma daquelas motos Harley Davidson incrementada e muito louca. Tomando sol e chuva, atravessando na lama e comendo poeira.
Um sonho perigoso e legitimo, que aos altos dos meus cinquenta anos irei realizar com certeza.

Eu te amo como amo a vida.
Desprendida e inocente, assim sigo meus momentos. Pois um dia tudo acabará, mas partirei com a certeza que vivi loucamente cada segundo dessa incerta sobrevivência. 

terça-feira, 29 de setembro de 2015




Eu gosto de contemplar o horizonte, principalmente em minhas viagens.
Imagino o que encontrarei além da estrada, de uma curva ou montanha.

Vejo cruzes, no acostamento, estes desconhecidos são como eu, queriam conhecer o mundo.

Em um dia assim de presente eu escrevo e reescrevo meu viver.

Entre tantas bocas e olhares, o desejo sempre florescerá.
E entre eles e para um deles uma luz iluminará  as trevas...

Há pessoas que são anjos de luz!

segunda-feira, 28 de setembro de 2015


A cerca não me impedirá de saltar, nunca...


No mundo das coisas abstratas, tudo é possível e inimaginável. Portanto acredito no que não vejo e sinto o que não posso tocar. 

domingo, 27 de setembro de 2015

Sou tal como a lua
De fases...
Hoje ela está vermelha, a cor do desejo
E eu também!


Autora Desconhecida!




Um aglomerado de pardos marcham de um lado à outro do pátio de concreto indiferente. 
O sol queima suas costas e fervem seus miolos já transtornados. Seguem sua marcha com olhares distantes e vagos, bocas de dentes amarelos e falhos, rostos pálidos e andares indecisos.
No canto um pequeno espaço por onde entram seus familiares, tristes e desesperançosos de melhora por parte destes rapazes. Quanta humilhação até ali, nesse castelo moderno de puro concreto e ferragens se sepultarão as esperanças de um futuro digno de estudos, carreira, dignidade, saúde e integridade física. Mas isso não vem mais ao caso aqui, "os ferros, trincas e fechaduras enormes marcam e indicam bem seu propósito, encarcerar."
Uma mãe, depois de quase um ano sem ver seu filho caminha a passos lentos. Parece que em seus pés todo o peso de um mundo inteiro a segura. Ela olha para céus e vê logo acima as guaritas com policiais fortemente armados e pensa, porquê de tanta segurança, quem está lá dentro é seu filho tão amado! E os de outras mãezinhas também, são só rapazes confusos...
A medida que vai andando se recorda de tudo que passou até chegar ali, as noites de sono em claro esperando seu filho chegar da rua, os telefonemas suspeitos dos amigos, a polícia militar à porta, os amigos de balada de má fama e o principal o seu filho que ela conhece como ninguém.
A jovem mãe observa calada outras mães iguais a ela, com a mesma dor e bem mais tolerantes. Ela não, é orgulhosa e tem direito de ser assim, fez o impossível para que seu filho tivesse de tudo nessa vida.
Chegou a hora da revista intima, a agente lhe manda tirar as roupas e a pobre mãe já quase sem forças é estrupada pela vergonha do sistema do carcerário. Senta e levanta três vezes, sem calcinha de frente e de costas sob o olhar atento de uma mulher que com certeza não deve ter filhos, pelo menos não como o seu. Pronto põe suas roupas devagar vendo o olhar fuzilante de quem a também condena, sabe que está sozinha, hoje , amanhã e sempre.
Passa uma porta, duas, três, quatro e em corredores escuros pequenas janelinhas  pode-se ver as cabecinhas circulando lá dentro. Qual deles será o seu tão amado e querido filho, qual deles, todos eles...
Entrega os documentos ao agente que lhe olha com malícia, abaixa e cabeça e entra ao som de uma grande porta de aço se abrindo a sua frente. A mãe vê um clarão de luz que lhe cobre todo o rosto, mas essa não é a luz que transmite esperança, com certeza essa não é.
Com as mãos cansadas de carregar sacolas com algumas coisas de comer que seu filho gostava em casa ela espera. Calma, ela não pode ultrapassar a risca amarela, seu filho tem que vir buscá-la. Um, dois, três até que entre os mais altos dali ela avista seu filho assustado pela sua presença, afinal são quase 365 dias sem vê-la. Um abraço terno os envolve, a mãe vê e constata que ele sofre, porém calada se mantém, ele escolheu esse destino, agora é só... desculpem não acho palavra adequada para isso.
Sorrisos, lembranças, piadas, novidades de tudo se conversa entre eles. 
Ali tem de tudo, estelionatários, assassinos, traficantes, ladrões, todo tipo de psicopatia conhecida e todo tipo de mãe e pai.
Para acabar de descrever o dia dessa mãe, um fato lhe chamou a atenção, um pai presidiário brinca com seu filho com uma bexiga feita de camisinha. Ela reflete por alguns segundos, essa camisinha poderia ter melhor utilidade. Seria menos um ou uns no futuro sendo um número de inscrição no sistema carcerário. São os dois extremos, as contradições ao vivo da vida.
A mãe de olhar vago escuta o sinal da saída, abraça seu único filho homem que deveria ser o seu protetor e amigo e parte de volta para sua terra, sua casa... 
Pensando consigo, pronto ano que vem eu volto, ela não sente saudade e nem tem vontade de voltar. Seu filho agora é feito, sabe se virar sozinho. 
Ele não é nenhum coitadinho não, pensa a mãe tristemente.

Relato de uma mãe de presidiário

                                                           


                                               Autora desconhecida

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

O Ninho


 Um ninho construído com todo cuidado e carinho.
Caprichoso esse passarinho chamado Reloginho ou Caga Sebo aqui no meu interior paulista.
Lindo, todo feito de barbante, linhas, fibras de folhas, capim bem finos e seiva de plantas.
Agora só falta o casalzinho galarem e chocarem seus ovinhos.
A fêmea bota em média três ovinhos por vez.
Agora é só esperar para ver.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Sendo um ser de pura energia!

O prazer de apreciar a vida assim como ela é, senti-la em seus mínimos detalhes. 
Observar as belezas reais da natureza e me dar por inteira a esse clima da harmonia que se encarrega de por todas as coisas em seus devidos lugares. 
Sou apaixonada pela vida e amo tudo isso que me cerca, tudo que vejo e posso alcançar.
Uma flor que desabrocha, uma nova árvore que germina... 
Assim são meus dias intensos ao som dos pássaros em seus ninhos, um sábia cantando no alto da figueira.
Eu gosto do cheiro de casa limpinha e arejada, do sol entrando pelas janelas. 
O ar puro do campo a me encher os pulmões. 
Eita vida boa viver, se eu tiver que chorar eu choro, mas depois que o dia nascer, o sorriso volta maior que no dia anterior. 
Sempre será assim, porque assim me sinto, iluminada.




Bom dia!

domingo, 20 de setembro de 2015

sábado, 19 de setembro de 2015

Aquele que te aponta o dedo na rua é o mesmo que prega a religião e adoração a Deus. 
Posso falar com toda convicção Deus não existe, não da forma que dizem. Ele não passa de vento, chega, passa e logo vai embora. 

Amor é a força mais poderosa que existe, capaz de dar forças ao fraco e ressuscitar um moribundo. Tem o poder de curar, salvar e acima de tudo dar esperança aos que perderam a fé.

Não venham a minha porta pregar, nunca mais atenderei ninguém falando sobre religião. Falsos, prefiro continuar com meu eterno culto solitário quase pulando para o ateísmo. 
Pregam mentiras e vendem suas almas em troca de moedas de dizimo. " Moedas, cartões, cheque e corrente de ouro são aceitos."
Quem são os verdadeiros anticristos?
Alguém sabe me dizer?




"Luminha" de 12 de outubro de 2003 à 19 de setembro de 2015.


Apesar da tristeza hoje está um lindo dia. Prefiro me lembrar de todo amor e felicidade que tem me dado de presente todos os dias. Me despedirei pelo celular, partirá ouvindo minha voz. Será uma passagem tranquila, dormirá apenas o sono profundo do adeus.
Luma nasceu a doze anos no 12 de outubro e partirá em uma linda manhã de sábado.
Adeus minha linda, meu amor!

video

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

 Você
É assim que te vejo, te sinto e amo!
Significa muito pra mim, de verdade.





Muitas vezes as coisas não acontecem como eu quero, mas sim como devem ser. 
Tudo tem seu tempo, sua razão e seu porquê.
Eu já deveria ter aprendido essa lição...


quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Um dia comum feito os outros, porém muito diferente em seus aspectos.


Ela passa horas me olhando enquanto preparo o almoço. 
Tem sido assim a muitos anos, um amor incondicional. 
Hoje mal tem forças de se manter de pé e mesmo assim continua zelando por mim. 
Percebo em seus olhos que ela precisa partir, já não tem mais condições, os recursos estão chegando ao fim. 
Eu tenho que ter forças para deixá-la partir. 
Esse me é um momento muito difícil . No entanto preciso pensar nela, na sua dor e no seu cansaço. Não consigo olha-la sem chorar, seu olhar aos poucos se despede. 
Quando cheguei da academia agora à pouco abracei-a e lhe disse que poderia partir, pois eu ficaria bem. 
A Luma olhou- me com aquele olhar que cabe todo o amor do mundo como se soubesse que estou mentindo. 
A despedida é um acontecimento que eu não consigo aceitar ainda.





Me sinto tão impotente, queria que partisse sem sofrimento. Que pelos menos tivesse o direito de uma morte digna. Tantos anos de amor e lealdade se acabando assim, aos pouquinhos e com tanto sofrer. Ela não reclama mas esta me matando vê-la nesse estado...

Tumores no fígado, foi o diagnóstico. 
A minha Luma não voltará pra mais pra casa, adeus minha linda!

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Nos vemos de acordo com as circunstâncias. Acho tão pouco, poderia ser mais, muito mais.
São tantas nossas obrigações e tão pouco nosso tempo. Quando acharemos tempo pra nós meu amor?
Sinto tanto a sua falta, você nem imagina.



Doação

Doarei também meus órgãos, todos que tiverem condições de uso...
Os que não servirem podem ser retirados pelos estudantes de medicina. 
Uma forma de ajudar ao próximo, uma vez que eu não precise mais deles.
Quantas vidas poderão ser salvas com uma atitude tão simples, sim serei uma doadora.
Tomarei providências para que cumpram meu último desejo.






Vida!

Você entrou de uma forma tão carinhosa na minha vida que quando dei por mim, já havia invadido tudo.
Pensar em você é uma das melhores coisas da minha vida.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Amor...

Porque hoje é o nosso dia?
Esta me deixando curiosa, muito curiosa...
Eita loucura gostosa de viver.







...você é o dono dos meus sorrisos e pensamentos, nossa são tantos! 
 A cada dia sinto que é impossível ficar muito mais tempo de você. 



Voltando a rotina aos poucos, academia bem devagar...
Nossa está difícil, mas tenho persistência e não vou desistir.



domingo, 13 de setembro de 2015

Ser caipira...

Ser caipira não é o bastante
Preciso sentir o cheiro da terra molhada
O ar do campo depois das chuvas
Os pássaros felizes fazendo seus ninhos com a chegada da primavera
O céu azul e cristalino depois da chuvarada
Eu sou sim caipira e adoro ver um terreiro cheio de galinhas ciscando
Jabuticabas no pé aos montes, chupar seriguelas até enjoar


Isso que é vida, descansar numa rede aos domingos à tarde e 
Olhar o horizonte através do para-brisa do carro. 



sábado, 12 de setembro de 2015

O desejo veio primeiro...
Depois a admiração, o gostar, a amizade e enfim um amor tão doce!
Que alegra o meu viver. 
Porque me permite ser quem realmente sou.
Simples e alegre com meu jeito manso de ser.



sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Posso sentir sua respiração, como desejo um simples atrevimento de suas mãos, macias tacando de leve meu corpo.
Notei um brilho diferente em seus olhos, hoje não estavam tristes e sem esperança. Ao contrário neles pude ver a minha total perdição e senti vontade de comprar uma linda lingerie.


quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Morar juntos apenas...
Morar, simples como deve ser
Crescer juntos, rir, chorar e sonhar
E se um dia acabar, basta pegar as malas e partir
Simples assim!
Sem contrato nem alianças,
Só cobertor e colchão.

Escrever... desenhar letras no papel ou teclar no teclado, tanto faz. Desde que se escreva.

Mas o que? Não sei, muitas coisas e talvez nada...
Escrever é isso, é preciso haver um motivo. 
Sem isso não há escrita, nem razão e nem porque.

Chuvas!
Reconfortante para mim que estou doente, acho que dessa vez me deixei abater. Juntando com tudo isso culminou em uma gripe forte que vai e volta quando tem vontade.  A fraqueza que me obriga a me isolar, dar um tempo de tudo e me refazer aos poucos. Com a falta de energia faço minhas tarefas diárias aos poucos, sento, deito e levanto na medida que meu corpo suporta. 
Bem já escrevi demais, a chuva está caindo mansinha e gostosa lá fora e essa minha falta de ar que não passa. 
Preciso descansar...

Bom dia!

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

O tronco do castigo

Os ferros, o tronco e o chicote ficaram lá no passado,
Fazem parte dos museus e viraram lembranças na memória dos mais velhos
Hoje somos um povo livre...
Tenho orgulho da minha cor, minha raça!

E vergonha dessa humanidade desumana, crueldade extrema.
Que explora, oprime e mata em nome do progresso...

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Mentes Preocupadas

Eu tenho um grande problema, como a maioria das pessoas. Com a agitação da vida moderna. Relaxar fica cada dia mais complicado, qualquer coisa é motivo de grande aborrecimento. Antes eu  viajava para conseguir me distrair. Ultimamente nem isso tem funcionado, volto mais cansada e nervosa ainda. E já notei que viagem longa não é tão legal assim não, estressa e fadiga. De excursão dependendo dos outros é o  "O" do boro godo. Um, dois, três dias no máximo, pronto, legal e vamos embora curtir o lar e matar a saudade da doce caminha.
 Ah! Que delícia, poder voltar pra casa.

Passagem...

Pátio da antiga senzala, única fonte de lazer.
Preciso deixar de acumular...
Roupas, sapatos, perfumes, amores!
E começar a viver...
Mas viver de verdade, sentir o prazer máximo da vida.
Não faz sentido sofrer, ao menos que se esteja enferma,
Tirando isso, nada vale a pena,
Ninguém sofrerá por você, acredite!

Antiga cadeia de  "nós, os negros". 






segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Palacete

Passeando de charrete vislumbrei toda riqueza  de outrora. Um palacete construído para a visita do imperador, Dom pedro segundo. Duas salas com decorações finíssimas e móveis importados de  outros países, feitos sob encomenda.
Quanta beleza eternizada em um século de luxúria. 
As salas estão localizadas logo no rol de entrada. O palacete tem dez quartos, muitas salas, bibliotecas e jardins de dar inveja
.









Musica Censurada do Gabriel Pensador

domingo, 6 de setembro de 2015

Palacete Santa Maria de 1889

Senzala, casa das mucamas, um passeio na história do meu povo. Dor, sofrimento e castigo. Tronco, pelourinho, ferros, e um sonho de liberdade...
Senzala que abrigava setenta escravos entre mulheres, homens e crianças, não haviam janelas somente duas portas grandes. Depois que os imigrantes italianos vieram, eles moravam nesses habitações e as janelas foram colocadas.
Cama da mucama
Quarto do coito
Instrumento usado como vaso das camareiras.

Quarto das mucamas, de certa forma elas tinham alguns privilégios, mesa, camas, banheiro e um quarto separado para quando o sinhô queria suprir suas necessidades masculinas.