domingo, 31 de janeiro de 2010

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

POESIA DOS AMANTES

Filmes


Ao amor que está distante de mim.
Longe das minhas mãos, que não posso tocar;
Onde meus olhos não conseguem enxergar.
Distante do meu corpo,
Mas que vive no meu coração;
Parte da minha alma,inconfundível.
Desejo do meu querer;
Que tanto espero ter você.
Sonho que busco incansavelmente.
És a metade da minha vida,
Meu querer mais profundo;
Meu mundo.
Minha simples razão,
Minha mais forte emoção;
Vida minha,
Meu amor.
Minha sorte,
Minha dor.
Você,
Que tanto amo;
E que não posso ter.


Anne Monteiro


Orkut

domingo, 17 de janeiro de 2010

UM S.O.S

Esses pesadelos da natureza têm que acabar.
Tsunamis, terremotos, tornados, efeito estufa e tantas outras trajédias que nem consigo enumerar.
A letra dessa música define bem o caos que passamos no nosso planeta, mas ainda há tempo de reverter todo esse mal.


As Baleias

Roberto Carlos
Composição: Roberto Carlos / Erasmo Carlos

 O gosto amargo do silêncio em sua boca
Vai te levar de volta ao mar e à fúria louca
De uma cauda exposta aos ventos
Em seus últimos momentos

Como é possível que voce tenha coragem
De não deixar nascer a vida que se faz
Em outra vida que sem ter lugar seguro
Te pede a chance de existência no futuro

Mudar seu rumo e procurar seus sentimentos
Vai te fazer um verdadeiro vencedor
Ainda é tempo de ouvir a voz dos ventos
Numa canção que fala muito mais de amor

Seus netos vão te perguntar em poucos anos
Pelas baleias que cruzavam oceanos
Que eles viram em velhos livros
Ou nos filmes dos arquivos
Dos programas vespertinos de televisão

O gosto amargo do silêncio em sua boca
Vai te levar de volta ao mar e à furia louca
De uma cauda exposta aos ventos
Em seus últimos momentos
Relembrada num troféu em forma de arpão

Não é possivel que você suporte a barra
De olhar nos olhos do que morre em suas mãos
E ver no mar se debater o sofrimento
E até sentir-se um vencedor neste momento

Não é possivel que no fundo do seu peito
Seu coração não tenha lágrimas guardadas
Pra derramar sobre o vermelho derramado
No azul das águas que voce deixou manchadas

Seus netos vão te perguntar em poucos anos
Pelas baleias que cruzavam oceanos
Que eles viram em velhos livros
Ou nos filmes dos arquivos
Dos programas vespertinos de televisão

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Quando eu nasci tocava essa música

Cotidiano

Chico Buarque
Composição: Chico Buarque

Todo dia ela faz
Tudo sempre igual
Me sacode
Às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca
De hortelã...


Todo dia ela diz
Que é pr'eu me cuidar
E essas coisas que diz
Toda mulher
Diz que está me esperando
Pr'o jantar
E me beija com a boca
De café...


Todo dia eu só penso
Em poder parar
Meio-dia eu só penso
Em dizer não
Depois penso na vida
Prá levar
E me calo com a boca
De feijão...


Seis da tarde
Como era de se esperar
Ela pega
E me espera no portão
Diz que está muito louca
Prá beijar
E me beija com a boca
De paixão...


Toda noite ela diz
Pr'eu não me afastar
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pr'eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor...


Todo dia ela faz
Tudo sempre igual
Me sacode
Às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca
De hortelã...


Todo dia ela diz
Que é pr'eu me cuidar
E essas coisas que diz
Toda mulher
Diz que está me esperando
Pr'o jantar
E me beija com a boca
De café...


Todo dia eu só penso
Em poder parar
Meio-dia eu só penso
Em dizer não
Depois penso na vida
Prá levar
E me calo com a boca
De feijão...


Seis da tarde
Como era de se esperar
Ela pega
E me espera no portão
Diz que está muito louca
Prá beijar
E me beija com a boca
De paixão...

Toda noite ela diz
Pr'eu não me afastar
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pr'eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor...


Todo dia ela faz
Tudo sempre igual
Me sacode
Às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca
De hortelã...








quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Devaneios

Fantasia
Parti em busca do que não se permitia ser achado,
Trilhei caminhos sinuosos, cavalguei sob chuva e frio
A minha frente não avistei vales nem montanhas
Somente escuridão me envolvia
Galopei mais rápido, fugi da tormenta,
Sufoquei uma paixão
As lágrimas escorriam pelos meu rosto
Não poderia mais voltar, estava tudo perdido
O gosto amargo da perda me consumia
Pedi aos Deuses que tivessem compaixão de mim
Mas ao invéns disso, zombaram do meu infortúnio
A ira dominou minha mente, por instantes nem sabia quem era
Blasfemei, cuspe na vida, gritei feito louca, rasguei minhas vestes
Mas uma hora tudo passa, a dor cessa, a fadiga passa, a fome abranda
E o coração se conforta em perder o que nunca tevi... 





sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Flores

O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher.




Cora Coralina

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Seja Feliz

Paixão

Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já não me dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.


Fernando Pessoa

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

BONS AMIGOS

Amizade

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir. Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!


Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!


Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!


Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!


Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!


Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!


Machado de Assis

JARDIM DAS BORBOLETAS"



Com o tempo você vai percebendo que
para ser feliz com outra pessoa,
você precisa em primeiro lugar, não precisar dela.
Percebe também que aquela pessoa que você ama
ou acha que ama, e que não quer nada com você,
definitivamente, não é a pessoa da sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e,
principalmente, a gostar de quem também gosta de você.
O segredo é não correr atrás das borboletas...
é cuidar do jardim para que elas venham até você.
No final das contas, você vai achar,
não quem você estava procurando,
mas quem estava procurando por você..!





sábado, 2 de janeiro de 2010

Eu não existo sem você

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Corações
Qua nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos me encaminham pra você
Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
]Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
E eu não existo sem você


Autoria: Tom Jobim e Vinícius de Moraes

Um templo católico construído com sangue, suor e lágrimas. Porque tudo para mim tem que haver um porém? Magnífica!