quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Meu Destino







Nas palmas de tuas mãos


leio as linhas da minha vida.


Linhas cruzadas, sinuosas,interferindo no teu destino.


Não te procurei, não me procurastes –


íamos sozinhos por estradas diferentes.


Indiferentes, cruzamos


Passavas com o fardo da vida...


Corri ao teu encontro.Sorri.


Falamos.


Esse dia foi marcado com a pedra branca da cabeça de um peixe.


E, desde então, caminhamos



juntos pela vida...

Um comentário:

uirapuru disse...

Cora Coralina descreve bem nesse poema os encontros e desencontros dos apaixonados, perdidos e seus medos...