segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Saia de mim Hó dúvida, não faças de mim um mero capricho
Erga suas mãos e diga que estou livre de suas garras afiadas
Aprisiona as mentes criativas, cria caos e pavor nas criaturas
Me deixe sonhar sozinha , aproveitar toda essa volúpia
Sem ter que tropessar em você a me dizer: sai dessa sua boba
Posso ser uma tola sim, mas sai do caminho D. dúvida e me deixe pelo menos ver
O que posso fazer sem você.

Nenhum comentário: