segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Paixões

Paixão sentimento excessivo, afeto violento e seguem-se outras classificações. 
Realmente a paixão é simples... 
É sempre uma atração passageira que pode afetar a todos, por um período curto ou longo.
E suas conseqüências são imprevisíveis. 
A paixão nasce de repente.
Os olhares se cruzam e vem aquele desejo de uma aproximação. 
E tudo acontece até a entrega total. Não adiantam reações. 
A carne predomina sobre a razão.
Não existem distâncias sociais e financeiras.
O momento é de entrega. E tem de ser vivido. 
È uma ocasião única em que as fantasias serão realizadas. A situação é questionada, mas prevalece a irresponsabilidade do ato sobre tudo. 
O coito é voraz e cheio de emoções. 
Alguns casais se esbofeteiam no início, querendo qualificar aquele espaço como estupro, fugindo do conflito d´alma reinante.
E logo, em seguida segue-se cópula com maior intensidade. 
E nos dias subseqüentes, os encontros multiplicam-se, agora sem qualquer cuidado em suas exibições. Torna-se um vício, tais drogas ou jogos. Não existem culpados... Apenas aconteceu! 

O Amor, afeição profunda, conjunto de fenômenos cerebrais e afetivos que constituem o instinto sexual é uma aproximação lenta e gradual que atinge as pessoas.
A sua evolução é progressiva e o tempo é água que o alimenta através da eternidade, pois o Amor é eterno. È tranqüilidade envolvente.
É o bem estar. Jamais o amor foi destruído por uma paixão. 
Ele continua em todas separações, se realmente existiu. 

Nenhum comentário:

Aos poucos a mocinha se prepara, se enfeita, brinca com as gotas de orvalho e se deleita com o elixir dos ventos... A Bela Moça demora, mas...