sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Olhos para ver


Ai de mim que nada sei de concreto
Busquei quebrar regras e muitas vezes quebrei foi a cara
Não me arrependo nem um pouco, fiz o que julguei acertado
Não estou a me explicar, julgo-me acima de tudo que me ofendes
Sabedoria é virtude de poucos e pouco a possuo, resguardo meu geito
Nem todos entenderiam minha maneira de ser...assim, assim, mais, mais...
Penso em tudo e pouco faço para mudar meu fardo que se  estende pela vida afora
Não me traga receitas prontas pois adoro misturar os temperos
E esperimentar sabores...
Degusto a vida aos poucos , não me iludo com quase nada, sei da incapacidade alheia
E caminho rumo as pirâmides, para descobrir quem sou e para onde vou...
Se tudo é tão simples porque então julgamos complicado?
Fica bem mais fácil rodear do que atingir o ponto
Sofre-se menos e espera-se mais
Quando atingir a maior parte de seus objetivos aceite
 Não foi só seu esforço, a sorte também contribuiu
Nem tudo foi só o destino, a sorte deu uma forcinha...

Nenhum comentário:

Tenho a alma de um Lírio... Se ele a tivesse!