sexta-feira, 26 de março de 2010

Seu Nome

Direi seu nome, assim quase sussurrando em seus ouvidos...
Aquele beijo que me pediste e não dei, dou-lhe agora, sem pressa, sentindo o calor de sua boca...
Minhas mãos trêmulas vão tocando sua pele, um misto de euforia e medo tomam conta de mim.
Vou experimentando seus sabores, suas curvas e seu cheiro bom de homem, sedento de prazer...
Flores
Te envolvo aos poucos, mordiscando o cantinho de sua boca e implorando por mais e mais beijos seus...
Ah como é bom estar contigo, ser sua e me entregar sem pressa.
O mundo lá fora é esquecido, estamos unidos fazendo o tempo parar por instantes de cúmplicidade e prazer.
Você  demonstra gemendo que gosta do jeito que faço, e isso me enlouquece, se deixar seduzir faz parte da arte do prazer e aliás eu gosto muito...
Quando com ar distraido me puxa pela cintura e me aperta contra o peito me virando de costas num só puxão. Me sinto uma exímia dançarina de Tango e você beijo sem cerimônia meu pescoço e por um momento sinto que flutuo, todo o meu corpo clama, ardendo de prazer.
Não há regras quando estamos juntos, somente a vontade de saciar nossa sede...
Nossos corpos se encaixam perfeitamente e uma noite só é pouco para tanta vontade...
Flores











3 comentários:

Zé Carlos disse...

Oi querida, quanta falta vc fez..... onde andou este tempo todo?

Feliz por te ver.

Beijão querida, ZC

Eugenia disse...

O prazer é todinho meu. Um beijão amigo

Eugenia disse...

O prazer é todinho meu. Um beijão amigo