domingo, 2 de abril de 2017


Passado já algum tempo que os amores
De almeno, por seu mal eram passados,
Porque nunca Amor cumpre o que promete,
Entre uns verdes ulmeiros apertados,
Regando pelo campo as brancas flores,
Em lágrimas cansadas se derrete,
Quando a linda pastora que compete
Co monte em aspereza
Co monte em gentileza,
Por quem o triste Almeno endoidecia,
Pela praia do tejo discorria
A lavar a beatilha e o trançado
Já o Sol consentia
Que saísse da sombra o manso gado...

Nenhum comentário: