segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Reflexões Sobre o Tempo e o Amor

Percebi que não tenho tido tempo para falar de amor.
Acho falta, pois sou do tempo que para se falar de amor não demorava muito tempo.
E por falar nisso nos tempos atuais, o amor não dura mais o mesmo tempo que durava na minha época.
Nos tempos atuais ninguém tem tempo para amar.
Mas, o amor toma nosso tempo?
Gastamos tanto tempo em nada, quando na verdade o amor é tudo.
É tudo de bom, e o mesmo tempo, tudo de mau.
Amor e tempo andam de mãos dadas.
Isso porque o tempo voa quando se ama.
Porém, pode ser o contrário, pois me sentia voando no tempo quando amava.
Ah, esse tempo que fortalece o amor, é o mesmo tempo que o desgasta.
Se for assim o tempo é amigo ou inimigo do amor?
Impossível saber, pois amor e tempo são duas incertezas.
Contudo a maior das incógnitas está em saber se ainda terei tempo.
Tempo de amar, neste tempo em que não se acredita mais no amor.

3 comentários:

Cann disse...

Eugênia o amor (romântico) não pode tomar o tempo de ninguém pois são duas coisas que não se cruzam. O mais misterioso é saber de onde vem, como aparece (do nada?) e como se esvai. E também: como alguns quase não o tem enquanto outros o tem em demasia...
Abraço

Eugenia disse...

Cada um dosa o amor na quantidade exata, nem mais e nem menos. Entretanto creio que quando falamos de amor tudo se torna simples e demais complicado.
Um bom dia pra você.

Eugenia disse...

Oi Claudinei estive pensando sobre o que disse, o amor é misterioso porque assim se torna mais real. Se o decifrássemos facílmente ele não teria todo esse encanto. Pra mim ele surge da necessecidade que o ser humano tem de amar,"aquela pessoa especial" que nos desperta arrepios e faz o coração bater mais compassado. E esse amor só acaba quando deixa de ser correspondido, ficando apenas uma saudade que dói muito, porque no fundo sabemos que não há ninguém que possa substitui-la. Não há coisa pior que amar em silêncio...
Um grande abraço e apareça aqui no meu cantinho.