segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

...sinto uma ansiedade muito grande, vontade insana de aventuras contida nesse corpo limitado. Uma revolta que não sei de onde surge, dum passado distante talvez... Infância interrompida, alegrias frustadas, tudo era proibido... pecado.
Queria poder voar... Bater minhas asas feito um condor e ver a planície distante. Longe de tudo, não precisar comer, dormir, só voar e mais nada.

Nenhum comentário:

Me faltam as palavras para descrever o quão é go stoso cultivar as flores.