domingo, 6 de novembro de 2011

Desabrigado

Não me tocou, jamais sentiu o calor do corpo, mas alcançou algo impossível.
Achou a chave que abrisse meu rude coração. 
Lá não quis fazer morada, por achar arriscado demais e fiquei na saudade de amor que com certeza não terei jamais...

Nenhum comentário: