sábado, 12 de março de 2011

Silêncio de um cipreste


Todo mundo tem o direito

De viver cantando

O meu único defeito

É viver pensando

Em que não realizei

E é difícil realizar

Se eu pudesse dar um jeito

Mudaria o meu pensar

O pensamento é uma folha desprendida

Do galho de nossas vidas

Que o vento leva e conduz

É uma luz vacilante e cega

É o silêncio do cipreste

Escoltado pela cruz


Cartola e Carlos Cachaça

Nenhum comentário:

Tenho a alma de um Lírio... Se ele a tivesse!