domingo, 20 de março de 2011

Uirapuru

Caminho a passos lentos, observo a natureza a minha volta, vejo os passáros voando livres.
Dia desses vi um tucaninho de bem perto, ele é uma graça, todo colorido, de tons vibrantes, bate três vezes as asas depois plana, parece descansar. Ele voa lento, não é como a águia ligeira e predadora. Assim imagino as pessoas, se eu fosse uma ave não seria andorinha, não gosto de multidões, nem um gavião pois não tenho o dom de caçar. Seria pois um uirapuru, canto triste e solitário nas florestas amazónicas.

Nenhum comentário: