sexta-feira, 11 de março de 2016

Pássaro Negro

A escravidão ainda perdura, velada e a espreita de qualquer negro esperto. 
Fujir não é solução, ficar também não.
Não podemos falar,
Não podemos sentir,
Só nos é permitido escutar...

Cantemos nosso canto de glória, 
Que se abram as portas dos mares,
És preferido morrer na mira dos fuzis,
Do que permanecer com fome nessas terras inférteis.
Negros nunca foram bem vindos aqui.



Nenhum comentário: