quarta-feira, 9 de abril de 2014

...hoje não será um bom dia.

Ontem, uma pessoa que eu achava ser minha amiga e sempre tratei com o maior carinho e respeito, me deixou muito triste, mal consegui pregar os olhos à noite inteira. Sem razão aparente, me cuspiu um monte de desaforos e indiretas. Me chamou de relaxada, gente posso ser qualquer coisa, mas relaxada nunca. Só fiquei ali parada ouvindo os disparates e com toda calma e respeito olhei pra ela e não respondi nada. Só imaginei o que faz uma pessoa sentir tanto ódio no coração, tanto rancor... Aquelas palavras não eram pra mim, mas como eu estava ali naquele momento, foi em mim que ela descarregou e destilou sua raiva. Estou péssima, parece que caiu um muro em cima de mim. Não sei se vou conseguir olhar na cara dela de novo e acho que nem quero. Vou manter distancia, pessoas assim não acrescentam nada. Eu sempre tenho argumentos para defender qualquer um que seja, mas dessa vez não acredito que seja o caso. 
Esse texto se enquadra perfeitamente no que sentindo nesse momento 

Chorar não resolve, falar pouco é uma virtude, aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo. Para qualquer escolha se segue alguma consequência, vontades momentâneas não valem a pena, quem faz uma vez, não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze. Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder para aprender a dar valor, e os amigos ainda se contam nos dedos.
Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar pro resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela. Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos.
Charles Chaplin

Nenhum comentário: