segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Se eu pudesse descrever as cores do arco iris, aquele infinito de cores sem fim.
A emoção do nascer do sol e o seu se pôr nas tardes frescas de inesgotáveis surpresas.
Notar o brilho no olhar de uma criança inocente, frágil e inquieta.
Ter a emoção de tomar o primeiro banho de chuva, depois de um dia inteiro de aulas.
Quem nunca beijou escondido, lambeu a panela de doce de abóbora e se sujou na lama do quintal brincando de bola.
Não sabe e nunca saberá o que é viver de verdade.

Nenhum comentário:

Tenho a alma de um Lírio... Se ele a tivesse!