terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O mal nunca acabará



Poderíamos viver em um  tempo onde não fossemos obrigados a nos cegar diante de tantas atrocidades.
Me nego à assistir telejornais sensacionalistas e manchetes aterradoras, fujo de tudo que me entristece o coração. Todas essas pessoas decapitadas, qual o real sentido para tudo isso? Demonstração de poder? Ainda insistem em dizer que a raça humana são um povo civilizado.
Com a globalização não há como fujir dos acontecimentos no mundo, tudo se sabe, tudo se vê.
Prefiro me ater de todo esse horror, enquanto posso.

Vemos diferenças entre nós, não somos diferentes, em algum lugar a qualquer momento podemos manifestar a fera adormecida que há em cada um de nós, ninguém sabe ao certo o que é capaz de fazer. 
Por vivemos em eterna vigília...

Nenhum comentário:

Me faltam as palavras para descrever o quão é go stoso cultivar as flores.