sexta-feira, 29 de julho de 2016

Costumo responder, normalmente, a quem me pergunta a razão das minhas viagens: que sei muito bem daquilo que fujo, e não aquilo que procuro.


Nenhum comentário:

...luto pelo que acredito, quando deixar de crer, morrerei.