sábado, 14 de janeiro de 2017

Úrsula, primeiro romance brasileiro e afro-descendente.

pouco vale este romance, porque escrito por uma mulher, e mulher brasileira, de educação acanhada e sem o trato e conversação dos homens ilustrados.”
“mesquinho e humilde livro”
 “indiferentismo glacial de uns” e do “riso mofador de outros”, desafiou: “ainda assim o dou a lume”.

Assim ela descrevia seu livro, um romance sobre pessoas brancas, contado por uma negra maranhense em pleno auge da abolição.

Resultado de imagem para maria firmina dos reis 

Maria Firmino dos Reis, primeira 
escritora negra do Brasil.

Um dos trechos mais emocionantes do livro:

Foi embalde que supliquei em nome de minha filha, que me restituíssem a liberdade: os bárbaros sorriam-se de minhas lágrimas, e olhavam-me sem compaixão. (...) Meteram-me a mim e a mais trezentos companheiros de infortúnio e de cativeiro no estreito e infecto porão de um navio. Trinta dias de cruéis tormentos, e de falta absoluta de tudo quanto é necessário à vida passamos nessa sepultura até que abordamos as praias brasileiras. Para caber a mercadoria humana no porão fomos amarrados em pé para que não houvesse receio de revolta, acorrentados como animais ferozes das nossas matas que se levam para recreio dos potentados da Europa.

Nenhum comentário: