sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

A noite é minha inimiga.
Prolonga meu sofrer e as corujas riem no meu telhado.
Corujinha buraqueira não ri de mim, vá se saciar de roedores e me deixe em paz...


Nenhum comentário: