domingo, 31 de janeiro de 2016


Eu não idealizo um amor romântico, desejo um amor real, sem máscaras e verdadeiro.
Um amor que não iluda, não corrompa e não sequestre.
Mas acima de tudo que não seja a base da minha felicidade e sim um complemento harmonioso em minha vida.
O verdadeiro amor e libertador, compreensivo e perdoador, uma vez que amar é perdoar infinita vezes.

Nenhum comentário:

Aos poucos a mocinha se prepara, se enfeita, brinca com as gotas de orvalho e se deleita com o elixir dos ventos... A Bela Moça demora, mas...