terça-feira, 19 de maio de 2015

A noite por vezes não passa de uma cruel inimiga.


Ela rouba a cena e tudo que me resta são fragmentos de sonhos.













...eu já vi o céu ao anoitecer sem as luzes dos postes, num sitio em Tabatinga há muitos anos atrás. Foi tão lindo, a noite estava toda estrelada.  Aquela escuridão por todos os lados, o cheirinho de lenha queimada e grilos à tritinar ali por perco, ao longe as sapos e rãs coaxavam, em meio aquele ambiente ruralíssimo.
Fiquei paralisada com tantos pontinhos cintilantes no céu.
Mais parecia um manto que cobria tudo com sua beleza.
Mesmo agora quando me recorde me emociono de poder ter visto um espetáculo genuíno. 
Bem a minha maneira de viver...

Nenhum comentário: