domingo, 10 de abril de 2016

Não tenho quase nada para falar de mim, faço pouco para aparecer, prefiro o anonimato.
Silêncio, paz e conforto fazem mais a minha cabeça.

Tranquilidade?
O túmulo me trará, com toda certeza. 
Pensando assim a morte é livramento... Livramento esse que prefiro ficar bem longe.
Quero retornar em forma de árvore, uma bem grande e com muita sombra, para abrigar todos que quisessem.
Como não penso em partir tão cedo, vivo como se a banda de rock Kiss a mim se apresenta-se todos os dias. 
Dorme com um barulho desses...



Nenhum comentário:

Tenho a alma de um Lírio... Se ele a tivesse!